A comida é o combustível que enche nossos corpos e que faz com que eles funcionem corretamente.  Mas por conta das conexões emocionais que temos com a comida, ela na verdade é muito mais do que um simples combustível. Nós celebramos, lamentamos e nos medicamos com comida. A pior parte é que nos medicamos por conta própria através da comida. Utilizamos ela como recompensa, como uma forma de nos agradar por algum feito ou como forma de nos culpar.

Mas você pode se liberar desse hábito de comer de maneira emocional e se livrar desses hábitos que não fazem bem. Você pode fazer decisões que te levarão a uma vida mais saudável e feliz. Está pronto para começar a lidar com os diversos sentimentos e reações automáticas que liberam a “alimentação emocional”? Então confira nosso plano:

Passo 1: Tire um momento para pensar

Nós respondemos automaticamente ao sentimento de fome. Nós sentimos a fome, vamos até a geladeira, pegamos algum alimento e comemos – sem pensar ou analisar nossos sentimentos ou ações. Ao desacelerar esse processo, você pode começar a ter controle sob a sua alimentação emocional.

O primeiro passo para reduzir a alimentação emocional é, quando você sentir fome, ao invés de ir direto comer você tirar um tempo para parar e analisar seus sentimentos. Através dessa análise você pode determinar de onde sua fome está vindo – se é do seu estômago ou da sua cabeça. Tire alguns minutos para pensar sobre isso e ter consciência do porquê você está comendo. Pergunte-se: o que eu realmente quero? Eu realmente preciso de comida ou de outra coisa? Quando você sentir fome, não vá correndo para a cozinha. Ao invés disso, pare. Sente, feche seus olhos e pense na sua alimentação. É o cérebro ou o corpo que está com fome?

Quando você tem algum desejo, algumas coisas acontem no seu corpo. Através da alimentação, você espera que se sinta melhor e eliminar sentimentos negativos como tristeza, raiva e solidão. Porém esses bons sentimentos podem não ocorrer ou eles podem ser substituídos por sentimentos negativos como a culpa e a vergonha. Se você perceber que não está fisicamente com fome, tire um minuto para pensar sobre o que está acontecendo na sua cabeça. Você está passando por algum problema emocional? Aconteceu alguma coisa recentemente que provocou uma resposta emocional, como uma discussão ou uma rejeição? Você está frustrado/a. bravo/a ou enjoado/a? Analise seus sentimentos e tente rotular eles para tentar entender o que está por trás dessa alimentação emocional.

Agora pergunte para você mesmo o que você pensa da alimentação. Você está pensando no que está comendo? Está com consciência das coisas que está fazendo? Isso é importante de saber porque quando nos alimentamos emocionalmente, vamos através de determinados tipos de comida – como doces e frituras. Porém quando você está fisicamente com fome, você irá comer alimentos mais saudáveis e nutritivos. Essa provavelmente é a principal diferença entre esses dois tipos de alimentação, a qualidade do alimento que você irá consumir.

19-12-16-site

Passo 2: Escreva

Manter um diário alimentar é crucial para te ajudar a entender sua alimentação. Use qualquer plataforma que quiser – um caderninho ou algo online. Não importa onde seja se você anotar todas as coisas direitinho incluindo o horário da refeição e a descrição da sua fome e porque você está sentindo ela. O porquê é importante e, acredite ou não, pode estar relacionado com algo que você experienciou faz anos e que nunca relacionou com comida. Quando você tiver algum desejo, por exemplo, responda as perguntinhas: Por que estou com desejo? O que estou sentindo? Por que estou me sentindo assim? Como posso satisfazer o meu desejo sem comer algo super calórico?

Passo 3: tome uma decisão

Agora que você já analisou sua fome e determinou se a fonte dela é emocional ou física, você pode fazer uma melhor escolha sobre o quê e onde comer. Se a sua fome é física, você consegue aguentar ela e pensar que sim, está com fome, mas que é normal sentir fome e que logo logo você irá se alimentar. Ou talvez você perceba que já passou da hora de comer e que é hora de ir para a cozinha preparar algo que seja saudável e saboroso.

Continua quinta-feira…

Créditos de imagem: Shutterstock

Banner do site Reinehr.org