De acordo com o National Institute of Mental Health aproximadamente 40 milhões de adultos com idade entre 18 e 54 anos tem problemas com ansiedade. É um problema sério que pode levar ao desenvolvimento de outras patologias como a síndrome do pânico, por exemplo. E com reduzir a ansiedade através de tratamentos holísticos, sem usar remédios? Descubra com a gente.

Foque na intenção ao invés do medo

A ansiedade tem como uma das causas o medo das coisas que podem acontecer. “Não vou conseguir lidar com isso” ou “Vai dar tudo errado”. Ao invés disso, se pergunte “O que eu quero que aconteça?” e planeje isso como uma intenção. Por exemplo “Eu gostaria de ser mais confiante para falar em público” é muito melhor do que “Eu vou travar se tentar falar em público”.

Cuidado com os rótulos

Rótulos possuem um poder incrível sobre a gente. Rotular você mesmo como uma pessoa ansiosa deixa no ar um senso de vítima perante a ansiedade. É claro que você pode se sentir ansioso, mas você não pode deixar esse rótulo definir quem você é. Você não pode se rotular como uma pessoa ansiosa e aceitar isso sem querer mudar.

Reinterprete seus sentimentos

Ao invés de ver o que você sente como ansiedade, veja como empolgação. Na psicologia isso se chama reavaliação da ansiedade e se mostrou extremamente eficiente no tratamento dos sintomas da ansiedade.

Considere isso: pense na primeira vez que você se apaixonou de verdade por alguém ou quando você estava muito empolgado/a para um show. Como seu corpo se sentiu? Você pode ter sentido borboletas no estômago, coração acelerado, problemas para dormir… E não são esses sintomas similares ao que você sente quando tem crise de ansiedade? Então da próxima vez que você sentir sensações físicas, reinterprete elas como empolgação e não ansiedade. Assim, fica mais fácil de você lidar com as emoções e evitar uma crise de ansiedade forte.

Aplique o “fenômeno da banheira quente”

Essa é uma frase utilizada para definir aquela sensação de tentar algo novo e não desistir. Porque esse nome? A gente explica. Imagina colocar seu pé em uma banheira onde a água está muito quente. Você pode mergulhar seu dedo e imediatamente tirar ele da banheira porque a água está muito quente. Mas se você manter seu pé dentro da água por um tempinho, logo logo você se acostuma com a temperatura da água. Com o passar do tempo, você coloca mais partes do corpo até estar imerso/a na banheira e se sentir super bem.

E é isso que acontece com qualquer outra situação estressante. Quanto mais você expõe a si mesmo, mais você se acostuma com a situação e mais normal para você ela se torna. Portanto fique confortável com o desconfortável, sabendo que isso não será desconfortável para sempre.

13-01-17-site

Foque no que está acontecendo agora

A ansiedade normalmente é causada por se preocupar com o futuro. Pensamentos como “E se acontecer”, “E se não acontecer”, “Não vou conseguir lidar com isso”. Esses pensamentos na psicologia se chamam de “adivinhação” – prever o futuro de maneira negativa e catastrófica – fazendo uma montanha a partir de um punhado. Uma maneira de evitar esse tipo de pensamento é focar no presente ao invés do futuro.

Pare agora mesmo e respire fundo. Pergunte a si mesmo “O que está acontecendo agora na minha frente?” Foque na sua respiração, em como seu corpo se sente, na sua visão, sons, cheiros e experiências que estão acontecendo agora.. Se manter no presente ajuda a combater a ansiedade.

Pare de usar “deveria” e faça suas próprias escolhas

Pare por um momento e determine como você usa a palavra “dever” como “Eu deveria fazer X” ou “Eu deveria ser capaz de fazer Y” ou “Eu não deveria fazer Z”. A palavra deveria é como um julgamento gigante em forma de dedo no seu rosto dizendo “Você não é bom o suficiente” ou “Você é um fracasso”. Isso pode levar você a se sentir ansioso, estressado e desapontado. Ao invés de julgar a si mesmo, dê um tempo para si. Ao invés de dizer “Eu deveria ser capaz de lidar com isso” seu foco deve ser “Eu escolhi saber lidar com isso”.

Saia da zona de estresse

O estresse sai do zero e vai até dez. Quando você está no sete para cima, o seu pensamento racional tende a voar pela janela. Isso é o espaço perfeito para a ansiedade surgir e tomar conta – você está mais suscetível a pensamentos irracionais quando está estressado/a. A chave é perguntar a si mesmo “O quão estressado/a eu estou agora de zero a dez?” Se você se sentir de seis para cima, pare o que está fazendo e faça algo saudável e que irá te ajudar a reduzir o estresse – respirar fundo, caminhar, escutar uma música. Isso não vai mudar a situação como um todo, mas vai reduzir o estresse para que você consiga barrar a ansiedade.

Créditos de imagem: Shutterstock

Banner do site Reinehr.org