compulsão

Este é um desafio imenso a milhões de pessoas espalhadas pelo mundo, as quais sofrem com algum transtorno alimentar, já que, de acordo com estimativas, de 2007, do Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos (NIMH) são 70 milhões o número de pessoas com alguma disfunção alimentar, sendo que o índice de mortes por este motivo é alto, entre 18 a 20%. Apesar da maior incidência mundial ser tipicamente entre mulheres, está aumentando também entre a população masculina.

O principal transtorno é a compulsão alimentar, que, ao contrário da anorexia, faz com que a pessoa coma desesperadamente sem nenhum critério, nem momento exato do dia. Muitas vezes este quadro é justificado por uma ansiedade sem controle, a qual pode vir a se tornar um paciente de obesidade e de depressão.

A psicóloga Patrícia Mendonça (https://www.facebook.com/patricia.mendonca.965 ) alerta como é comum problemas emocionais, como tristeza, estresse, irritação, ansiedade, preocupação levarem as pessoas a comerem em excesso, virando um transtorno alimentar. É muito diferente a fome física da emocional! Você consegue defini-las em você?

Mas e como se controlar? Como não descontar tudo na comida? Ainda mais quando uma dieta é iniciada, e tudo despenca quando estamos instáveis. Procurar um psicólogo pode ser necessário para que o emocional não abale os seus objetivos de emagrecimento. Este profissional, em conjunto com um nutricionista orientarão maneiras de controlar a compulsão. Saiba mais do acompanhamento psicológico para dietas na nossa Palestra Ao vivo e gratuita de hoje, logo mais às 20h.

Faça o seu cadastro aqui >>> https://bit.ly/emagrecimentosustentavel