s e r á . que estamos realmente presos como espécie que se considera inteligente, evoluída, a morrer sempre na mesma praia poluída ?

s e . d e . f a t o . são muitas as dimensões que coexistem neste 3D tosco que validamos como mórbida realidade todo fucking santo dia, …..

c o m o . f a z . p a r a . t r o c a r , ….. t i o …. ?

b e m . n ã o . s e i . quanto a você, mas só de ousar sentar num assento diferente no ônibus, pode ter certeza que a incômoda tonteira …

q u e . v o c ê . v a i . sentir, te fazendo desconfiar que não devia ter mexido no time que está ganhando da terceira fileira à esquerda, perto da janela …

p o d e . f a z e r . com que todo aquele filminho * das coisas para fazer amanhã sem falta * na hora em que deitou na cama, pode ter descarrilado …. !

p u t a . q u e . o . p a r i u . !, o pensamento te assalta, de pronto…

*** logo hoje que vou finalmente deixar de andar nesta bosta de ônibus, inaugurar vida nova agora como supervisor na filial, faço essa merda … *** ….

arrematando * t u . é . p e r d e d o r. m e s m o, m a n é … ! *

n o . e n t a n t o . hoje, sem entender porquê, assim que passou a roleta-russa, a imediata satisfação de ver que o lugar habitual estava vago restando dois assentos livres, não foi suficiente

p a r a . q u e . j u n t o . com a curva acentuada que o piloto fez na entrada da avenida, quase que o fazendo cair, desse de cara com o brilho alucinante do sol-da-manhã

que sempre evita atrás dos óculos escuros ….

s i m . s a b e m o s . que são pouquíssimas as frequências de sons que ouvimos, faixas de luz que enxergamos, mas naquele momento, ….

p o r . u m . i n s t a n t e . infinitesimal, antes que o raciocínio metesse o pé na porta, toda uma fresquíssima perspectiva de realidade o cegou a tal ponto

que na fração dos segundos seguintes ….

c o m . o s . o l h o s . ofuscados em lágrimas, se sentiu tão pleno de si, misturado ao brilho intermitente dos raios solares, …..

q u e . n e m . a força da gravidade do ar condicionado que cerca & cega foi suficiente para corrigir a garantida trajetória linear uniforme,

rumo à sua escassa zona de conforto …

d a í . e n t r e . o . n a n o . m o m e n t o . que se arremeteu destemido para o assento-fronteira e o ato físico de sentar,

s e n t i u . na pele arrepiada a vitalidade de um recém-nascido, nos dedos subitamente suados, nenhum impedimento para nada …..

p o i s . t i n h a . a c e s s a d o , sem fazer a menor ideia, a relatividade pineal do espaço-tempo, a multidimensionalidade do ser que nascemos sendo

para depois tornar-se cacifado-ceifado cidadão ..

*** mas sabe o quê, até que gostei de sentar aqui, mesmo que o dia de hoje dê com os burros n`água … foda-se, time que está ganhando, … sei …nunca gostei do Zagallo mesmo ***

mundinho escroto que se repete ?

:::: o link do vídeo acima é um mashup sensacional da música Right in Two da banda Tool com a animação do Niko da Nobrain chamada  The Gloaming.

 

e . v o c ê . v i a j o u . n u m . o u t r o . a s s e n t o . h o j e ….  ?

 

Joaquim Antonio 

 Há muitos espectros escondidos, milissegundos bastam para abrir a mente, se estivermos atentos. ” 

Gustavo Ferracioli 

 do we see reality as it is ?  / será que vemos a realidade como a mesma o é ?  

André Silva

como numa viagem astral ! ” 

Thyagi Das de Souza

 Não sei como fazer isso. Aliás, se o soubesse, talvez de duas uma: ou não saberia como sei, de tal forma que não precisaria me preocupar mesmo o que sei, e se ao menos se isso que sei é ‘perceber as múltiplas perspectivas presentes… ‘, pois o produto disso na vida é satisfação pura e simplesmente, ou que me gabaria por saber de fato algo tão almejado por muitos.. E aí já se sabe as merdas que dão…
concluindo: só sei que nada sei…. será isso uma pista para poder ‘perceber as múltiplas…” !??

Mas aqui agora, mais coração menos cabeça, em nível de sentimento, tenho sentido que a alienação tá instalada GERAL!! E saber olhar e reconhecer a própria loucura (identificação com a entidade -mente que se acha que é! ?) pode já ser um bom começo!!!! ” 

Pedro Ivo Bernardo Souza

” belíssimo texto – comunica bem o mistério essencial imenso que estamos / somos imersos. a pergunta do comentário, encaro em sua etimologia – per contare – sondar o desconhecido, e aí, sondamos juntos … estímulo – resposta:

Você já reparou no arrepio subjacente
a qualquer brisa, a qualquer vento
a qualquer bicho, coisa ou gente?
você já parou
para perceber sentindo
o absurdo infinito produtor de cada ente?
você sente?
e já reparou que algo em ti fica intolerante, impaciente
Com o mistério insistentemente rente?   ” 

Giselle Zambiazzi

 Acho que funciona como uma incessante poda. É a sensação que tenho. Sempre alerta. A hipnose vem. Opa! Poda. Poda o galho. Vai podando. A árvore se fortalece e os galhos podados sempre rebrotam. Não podem ficar, mas são parte essencial do processo da árvore. Ok, árvore é uma analogia que lembra uma coisa imóvel, fixa. Mas poda essa lembrança/associação e concentra na beleza 🙂 A consciência precisa de choques a todo momento para ser consciência. Senão, a hipnose vem e caímos naquela sintropia do não-lugar feito ralo de pia quase entupida que fica girando, girando até que não sobra mais nada. ” 

Ronny Ferreira

 Me fez pensar…
Ironicamente no contrário.
Sobre mim.
É fácil pra mim mudar de cadeira, mudar de condução, de pais, que seja. De tão fácil que ficou mudar e me permitir, começo a fazer o caminho inverso, pois sinto dificuldades absurdas em permanecer. Tenho aprimorado, mas ainda muito aquém do potencial responsável que quero descobrir em mim. ” 

De Giselle para Ronny ….

 Putz, Ronny. Minha luta. E as coisas acontecendo pra me prender e eu sempre querendo a impermanência. Qualquer rotina sempre me sufocou. Qualquer compromisso que me fizesse estar toda terça-feira às 19h no mesmo lugar com as mesmas pessoas me fazia entrar em desespero. Foram várias as etapas que precisei vencer pra não morrer por dentro (ex: escola… Aaaahhhrrrrggg!). Faz pouco tempo que venho me assentando porque sempre arrebentei correntes ou então arrastava outros comigo e isso não era legal. Meu espírito ainda não cabe em lugar nenhum e nunca vai caber. Mas passo a passo vai compreendendo e identificando que ele é livre em essência, não importa onde eu esteja, com quem eu esteja e o que eu esteja fazendo. Eu tinha a sensação de que uma vida era pouco pra mim. Um planeta era pouco. Uma experiência era pouco. Hoje percebo que o universo pulsa no riso do meu filho. Na semente que eu ajudei a plantar. No olhar do homem que hoje eu amo. No perfume do café plantado, colhido e coado num pontinho esquecido do mundo. E aí eu vou ficando. E me deixando ficar. Parei. E agora, é a vida quem me leva… ” 

Pedro Bernabe

” Que vídeo foda, que assunto foda.
pena que não tenho muito a acrescentar =/ ” 

Banner do site Reinehr.org