Ser Integral e Único

Percebe-se que toda a atuação da fisiologia (Corpo Físico) e todo campo de ideias e emoções (Corpo Mental e Emocional) atuam de forma muito presente e direta no processo do nosso TEMPO. Este determinará nosso espaço de identidade e atuação perante o meio. Com isso, diferenciamos o tempo interno do externo para assim alinhá-los da melhor forma. Com a respiração conseguimos efetivamente manipular ambos, nos preenchendo e esvaziando do que nos é necessário e desnecessário, proporcionando bem estar e discernimento. Esta é toda a base para o estado de fonação, é a partir daí que a voz – som que sai das pregas vocais – se direciona e também atua no tempo-espaço e permite, por meio da arte, desenvolver o que bem entender.

A Imperfeição Plena

Como sempre menciono, o ideal ou mesmo a cura completa não existe. O CORPO VOCAL sempre permeará pelo incompleto, imperfeito porque ele, justamente, vai lidar com o que temos em mãos, valorizando a essência. E temos muita sorte pois o processo artístico é agregador o suficiente para lidar com as imperfeições e os conflitos: são eles grande alimento para a criatividade e transformação.

O tempo artístico é muito mais livre e fora as formas, ele permite que flua muito mais solto que o tempo da praticidade e do fazer mencionados nos textos O Tempo e a Voz e O Tempo e a Respiração. O tempo da emoção, da preparação interna também é fora da linha reta da meta, é um tempo com percurso curvilíneo que flui perante às instabilidades e percalços, como o percurso de um rio.

Por fim, a voz atua no tempo sensível e particular do emissor e de sua relação com o meio. Pelo fato do CORPO VOCAL ter características interdisciplinares é importante estabelecer valores nobres que abracem e agreguem essa interação para o processo da arte, da comunicação e da saúde.

Boa voz para você! 

Banner do site Reinehr.org