Também é conhecida como Constelação Familiar Sistêmica ou Constelação Sistêmica Familiar. O termo ‘constelação familiar’ parece fazer referência às estrelas ou outros assuntos como astrologia, esoterismo, religião ou crença. Mas de fato, não está ligada a nenhum destes assuntos.

Na verdade, o trabalho desenvolvido pelo alemão Bert Hellinger se chama “Familienaufstellung” em sua língua original. Numa tradução literal seria ‘Representação Familiar’ ou ‘Colocação Familiar’. Mas antes de ser traduzido para o Português, o verbo “stellen” foi traduzido para o inglês como “constellate”. Assim, do inglês “constellate” para o português, foi traduzido como “constelação”. Constelação dá uma idéia de elementos posicionados em relação aos outros, representando algo. Mas a tradução literal direto do alemão como “Representação Familiar” passa uma idéia mais próxima de como é a técnica.

O objetivo da Constelação é ajudar as pessoas resolver conflitos e colocá-las em contato com o poder de cura da família, a serviço da reconciliação. A família dá a vida ao indivíduo, daí provém possibilidades e limitações. Estamos ligados, mesmo inconscientemente, à família e a seu destino. Assim, a Constelação Familiar é realizada para trazer soluções a problemas de relacionamento, de qualquer natureza, mas especialmente os familiares. No entanto, os mais de 40 anos desta abordagem revelou que outros problemas como doenças, vícios, problemas empresariais, de trabalho ou até financeiros, podem ser causados por problemas de relacionamento e em especial, por emaranhamentos sistêmicos. Assim, quando esta é a causa, sem dúvida a Constelação Familiar é a abordagem mais indicada.

O ‘emaranhamento sistêmico’ ocorre quando alguém na família retoma e revive inconscientemente o destino de um familiar que viveu antes dele. Isto acontece por uma necessidade irresistível de compensação por uma injustiça cometida, causando problemas que podem se repetir ao longo da vida e até de gerações. Tudo o que foi reprimido numa família tende a reaparecer nos membros menos capazes de defender-se. Inconscientemente, filhos e netos desejam sofrer,  expiar ou até morrer como seus antepassados que sofreram injustiças. A constelação familiar traz à tona soluções sistêmicas que incluem com amor cada membro do grupo, interrompendo este ciclo vicioso de compensações que perpetuam o mal do passado.

A Constelação restabelece as ordens do amor: hierarquia (estabelecida pela ordem de chegada), pertencimento (estabelecido pelo vínculo) e equilíbrio (estabelecido pelo dar e tomar/receber). As violações destas leis causam os emaranhamentos sistêmicos, que por sua vez, além dos problemas de relacionamento podem causar diferentes problemas como depressão, doenças, dificuldades no trabalho e financeiras, etc. A Constelação se revela aos poucos, passo a passo e inaugura um novo movimento na vida do cliente. Ou seja, tira-o do ciclo vicioso de problemas.

A Constelação Familiar é uma abordagem que traz à tona imagens internas inconscientes do cliente. Estas imagens se revelam como o posicionamento do cliente em relação a outras pessoas do seu grupo social, especialmente do seu clã familiar. Então, cada membro do grupo será representado na Constelação por materiais inanimados, como bonecos ou papel, ou mesmo por outras pessoas. Deste modo, a Constelação Familiar pode acessar fatos ocorridos em gerações anteriores e em locais muito distantes, mesmo que o cliente nem tenha conhecimento. Assim, ela atua além do tempo e espaço, possibilitando o atendimento pela internet (online).

Muita gente tem dúvidas sobre qual o melhor tema a constelar. Eu oriento meus clientes que o melhor tema para ser constelado é aquele que aflorar primeiro no coração, no início da Constelação. Afinal, é o coração do cliente que vai nos guiar durante toda a Constelação. Diferente de terapias convencionais, que são necessárias longas explicações sobre o problema (que podem durar até anos), na Constelação Familiar quanto menos, melhor! É uma terapia do essencial, assim, o tema pode ser dito numa pequena frase ou até numa única palavra. Por exemplo, problemas de relacionamento com (pai, mãe, filho, parceiro, colega de trabalho, …). Outros temas podem ser Constelados, como vícios, doenças, problemas com trabalho e profissão, e outros… mas deve-se compreender que estes problemas podem também ter outras causas. A maneira lógica para descobrir se estes problemas estão ligados a emaranhamentos sistêmicos é constelando e observando os efeitos. Quando a causa é um emaranhamento sistêmico, sem dúvida, a Constelação Familiar é a abordagem mais apropriada. De qualquer modo, o cliente pode perceber bons efeitos em outras áreas da vida, diferentes do tema constelado.

A Constelação é uma terapia rápida, pois na primeira sessão é possível observar bons efeitos. Em alguns casos, nem há necessidade de outra constelação para o mesmo tema. Há mais de 40 anos, esta terapia vem ajudando pessoas no mundo todo. O sucesso deste trabalho tem sido reconhecido também pelo Judiciário Brasileiro, através de sua integração como ferramenta de Conciliação nos processos judiciais, promovendo paz social.

Meus clientes costumam relatar um grande alívio após a Constelação Familiar. Eles sentem que algo mudou em seus corações, mesmo que racionalmente eles não saibam explicar como nem porque. Aliás, entender o que ocorre não é relevante para os resultados, mesmo porque o efeito é sistêmico, atingindo pessoas do sistema do cliente que nem tem conhecimento que ocorreu a Constelação.

Mas apesar desta sensação de alívio imediato, é necessário algum tempo para que estas mudanças profundas reflitam no dia a dia. Costumo explicar aos meus pacientes que eles serão atraídos para novas circunstâncias ou pessoas, pois um novo movimento foi iniciado.Existem situações que não podem ser mudadas, como por exemplo, a morte, mas a Constelação pode promover um novo ponto de vista, mais leve, a respeito dos fatos da vida. Por isto, antes de se apressar em repetir a Constelação para o mesmo tema, aconselho aguardar alguns meses, talvez nem precise repetir o mesmo tema.

O trabalho de Bert Hellinger se ocupa apenas em realizar as Constelações Familiares e não entender as razões para ela funcionar. Mas para aqueles que desejam estudar sobre esta questão, Hellinger indica o trabalho sobre ‘campos morfogenéticos’ do cientista inglês Rupert Sheldrake. Dentre os vários livros publicados e traduzidos para  o português, ele indica “Por que os cães esperam seus donos” e  “A sensação de estar sendo observado”.

Continuamos no próximo post…

Comente o post, deixe sua opinião e suas dúvidas, será uma satisfação respondê-las.

Um carinhoso abraço

Lara Silva

 

Transforme nós em laços com a Constelação Familiar ONLINE

http://www.constelacaofamiliar.larasilva.com.br

Banner do site Reinehr.org