Já falamos sobre os benefícios dos probióticos AQUI no site, e caso você tenha se interessado e resolveu procurar seu médico para iniciar um tratamento com essas bactérias, talvez você devesse ler essas três coisas super importantes de se saber antes de dar o pontapé inicial.

 

Os probióticos não são eternos

Quando ingerimos probióticos, seja por meio de cápsulas, pós, iogurtes, ou qualquer outro método ou alimento que os contenha de forma natural ou não, nós não estamos dando “residência permanente” à eles. Por mais que eles povoarão nossa flora intestinal e nos ajudarão a, por exemplo, dar um jeito em microrganismos que causa diarreia, eventualmente eles serão eliminadas quando formos ao banheiro.

Esse é um dos motivos pelos quais não devemos e nem precisamos ingerir uma quantidade muito grande de probióticos, e também o porque devemos ingeri-los diariamente se quisermos resultados satisfatórios.

 

Você precisa alimentá-los

Como qualquer outra bactéria, os probióticos também precisam se alimentar, e eles fazem isso através dos pré-bióticos: um grupo de carboidratos não digestíveis que ajudam as bactérias de seu intestino. Além disso, os pré-bióticos também tem lá suas vantagens – recentemente, por exemplo, uma pesquisa descobriu que ratos que possuiam uma dieta pobre em pré-bióticos apresentavam sinais extremos de estresse, que foram imediatamente minimizados após estes carboidratos terem sido introduzidos em suas refeições.

Médicos não costumam indicar a ingestão de pré-bióticos por meio de comprimidos, porque os suplementos podem não suprir nossa necessidade diária. Existe uma grande lista de alimentos que podem e devem ser usados para alimentar nossas bactérias, como por exemplo banana, aveia, cebola, alho ou aspargo.

 

A maior inimiga dos probióticos é a acidez estomacal

Várias coisas podem matar os probióticos, como o calor, por exemplo, mas o perigo não se limita à fatores externos. A acidez dos nossos estômagos é, talvez, o maior perigo para o bom funcionamento dessas bactérias. Caso você venha a ingerir suplementos, escolha aqueles que, de acordo com a descrição no rótulo, indique que os probióticos possuem um invólucro de proteção; caso contrário, ingira-os misturados com algum alimento que possa servir de proteção, como shakes ou iogurtes.

 

Fonte da imagem: WerbeFabrik/Pixabay.

Banner do site Reinehr.org