Todos sabem que alimentos ricos em fibras e probióticos são excelentes para manter nossos intestinos saudáveis e uma boa periodicidade de idas ao banheiro. Mas eles nem sempre funcionam 100%.

Nesses casos você pode utilizar outros alimentos que atuam como auxiliares da digestão, sem medo de efeitos colaterais como náuseas, gases, diarreia ou constipação.

Abaixo separamos alguns para ajudá-lo com esse problema.

 

Gengibre

O nosso sistema digestório faz com a comida atravesse nossos intestinos através de um movimento chamado peristaltismo, que precisa funcionar de forma correta, caso contrário podemos sofrer de uma série de problemas: caso ele seja muito intenso, podemos ter náuseas e diarreia, e se for muito lento constipação. O gengibre possui dois componentes que ajudam o peristaltismo atuar da melhor forma, o gingerol e o shogaol.

O melhor jeito de ingerir o gengibre para obter bons resultados no trato intestinal, é através da infusão de fatias finas em água, ou mesmo fresco, triturado com sucos, por exemplo.

 

Vinagre de maçã

Para que nosso intestino consiga absorver os nutrientes necessários, nosso estômago usa ácido hidroclorido para quebrar as moléculas dos alimentos em pedaços menores. Mas quando o nível de ácido hidroclorido é muito baixo (isso pode acontecer por diversos motivos, como por exemplo estresse ou ingestão exagerada de antiácidos), nossa intestino encontra dificuldades para realizar esse trabalho da melhor forma. Outro problema é que menos ácido em contato com as paredes intestinais pode levar à uma proliferação de bactérias indesejadas. Aí que é que o vinagre de maçã entra.

Seu consumo deve ser feito pela manhã ou antes de refeições pesadas. Uma colher de chá de vinagre em meio litro de água, por dia, basta.

 

Sementes de erva-doce

O consumo de erva-doce após refeições é uma tradição milenar em algumas culturas. Isso se explica com o fato de que a semente da erva-doce contém óleos voláteis que ajudam a prevenir inchaço, náuseas e gases. O único cuidado que devemos tomar é caso soframos com alguma frequência com azia.

Nesse caso, o melhor jeito de consumir as sementes não é através da infusão, mas sim ingestão direta. Mastigar uma colher de chá após as refeições já é o suficiente.

 

Fonte da imagem: flomo/Pixabay.

Banner do site Reinehr.org