Todos os dias ouvimos falar sobre o quão ruins para nossa saúde os refrigerantes são. De obesidade a diabetes, vemos uma lista infinita de possibilidades.

Uma das alternativas que muita gente encontra é cortar o açúcar dos refrigerantes, mas até mesmo os diets podem ser perigosos para os nossos corpos, a começar pelos tipos de adoçantes que muitas marcas utilizam para substituir a glicose, que podem agir de forma muito pior.

 

Refrigerantes diet também engordam

Ao longo de 10 anos, pesquisadores do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, acompanharam as condições físicas de 475 adultos. Destes, aqueles que consumiram refrigerantes diets periodicamente, viram sua cintura aumentar 70% mais do que das pessoas do grupo de controle, que não bebia nenhum tipo de refrigerante; e nos casos de pessoas que consumiram diariamente dois ou mais refrigerantes diets, esse número chegou a 500%.

O problema é que muitos refrigerantes diets utilizam aspartame, e ao se separar com esse desafio, nosso fígado simplesmente transforma tudo em massa corporal – mas não uma massa corporal boa.

 

Envelhecimento precoce

Refrigerantes de cola, diets ou não, contém uma quantidade assombrosa de ácido fosfórico, o que pode levar a problemas irreversíveis no coração e no fígado, e de acordo com dezenas de pesquisas recentes, acelerar o envelhecimento.

Embora o ácido fosfórico seja encontrado em diversos alimentos (como a carne, os laticínio e as nozes), é o seu consumo em excesso que traz problemas.

 

Poluição

Muitos adoçantes utilizados em refrigerantes diets não têm suas moléculas completamente quebradas em nosso sistema gastro-intestinal, sendo descartadas no sistema de esgoto. O problema é que nem mesmo o sistema de esgoto consegue filtrar toda a água e reter de forma correta todos esses componentes, fazendo com que essa “água com açúcar” seja devolvida aos rios e lagos.

Em 2009 na Suíça, por exemplo, pesquisadores do governo testaram a água de rios e lagos, e descobriram a presença de adoçantes como sacarina e sucralose, utilizados pela indústria alimentícia. Nos Estados Unidos o governo testou a água de reservatórios de distribuição de 19 cidades, e encontrou níveis consideráveis de sucralose.

Embora todos os efeitos colaterais desses adoçantes na água ainda sejam desconhecidos, sabe-se que, ao contaminar rios e lagos, pode haver uma alteração severa nos hábitos alimentares da fauna aquática.

 

De forma geral, refrigerantes são péssimos para nossa saúde e para o meio ambiente. Não benefício algum no consumo desses produtos, e as industrias responsáveis pela sua produção são apenas grandes bombas de sucção de dinheiros, sem oferecer verdadeiramente qualquer benefício sócio-ambiental para as comunidades onde atuam.

 

Fonte da imagem: Pixabay.

Banner do site Reinehr.org