china_dogs_epic

 Foi então que Mao Tsé Tung preparando terreno para a genocida revolução cultural chinesa proclamou …. os pardais comem os grãos, portanto, devem ser exterminados. E assim foi … mas porque será que algo tão absurdo se tornou realidade ?

A dieta do chinês, dentre os povos orientais, é disparada a mais carnívora … pode-se atribuir a esta cultura alimentícia diversos fatores ligados a pouca fertilidade dos solos devido uma constante lavagem dos nutrientes provocada por desmatamentos, chuvas intensas ou uma conjugação destes dois fatores (lixiviação) ou ainda ao clima temperado sujeito a monções invernais e equatoriais intensas, no entanto, talvez seja o fato que houve pouca domesticação afetiva de animais quando comparada a européia ocidental, é que o bicho come …..

l i t e r a l m e n t e.

De macacos à cachorros, se come de tudo da fauna terrestre e marinha, sem contar, claro, insetos, altamente nutritivos, cuja meca de consumo é a Tailândia.

Agora …… mais do que tipos & formas de vestimentas, configurações diversas de relacionamento familiar, social ou até religioso capturados ou não pela camisa-de-força do nacionalismo-patriotismo , sem dúvida nenhuma, a grande barreira que reforça fronteiras-limites, que divide-sectariza e até dogmatiza-criminaliza ….

é a alimentícia ! ….. fast (not) food à parte, claro.

Afinal o quase espontâneo estranhamento à aquela iguaria alienígena que não faz parte do seu cardápio vem carregada de significantes e significados moralistas, políticos que te cega & cerca instantaneamente …… não é mesmo ?

E que tal sentir agora “na carne” esta preconceituosa sensação ?

Uma investigação do Ministério Público do Trabalho (MPT) descobriu uma lanchonete em Parada de Lucas, na Zona Norte do Rio, que vendia pastéis e outros salgados recheados com carne de cachorro. Os animais eram mortos nos fundos do estabelecimento a pauladas, desmembrados e congelados para uso posterior.

Para tentar justificar a prática de colocar carne de cachorro nos salgados comercializados em sua lanchonete, o chinês alegou que a prática é muito comum em lanchonetes que pertencem à chineses em toda a capital fluminense.

#confira / preso-por-vender-pastel-de-carne-de-cachorro

Noves fora o regime de escravidão que ainda é um *padrão de organização* oficioso no *modo de regulação* ditatorial da macroeconômica China que produziu seu * iPhone 6S * ou * Galaxy S7 * (e que imigrantes chineses o reproduzem em escala microeconômica mundo afora) que o dono da lanchonete praticou ….

Porque você não haveria de comer um saboroso pastel com carne de cachorro, se esta prática não fosse proibida pela legislação sanitária do Estado Brasileiro ?

Justificadíssimas motivações veganas-vegetarianas à parte, sem contar toda a massiva indústria da carne que queima & devasta criminosamente matas diversas em prol da monocultura agro-pastoril, o que realmente te impede de comer tal iguaria hummm ?

Não precisa ser aqui em solo nacional, lá no xing-ling mesmo ?

#confira / dining-on-dogs-in-yulin

Percebam…. a questão de fundo deste post não é saber se você comeria ou não pastel com carne de cachorro (embora provavelmente, caso não tenha restrições à carnes, já deve ter comido, sem saber, provavelmente achando uma delícia) ….

E sim o quão disposto-aberto você julga ser para desintoxicar-se das imperceptíveis barreiras do monoculturalismo alimentar que não dialoga, deseja se manter intocado no feijão com arroz apenas adaptando-se eventualmente, mas pouco se mesclando, remixando-se, reinventando-se, em suma,……

jamais . e v o l u i n d o ….. e não apenas seu viciado paladar,
mas a nossa própria condição humana ….. !

e conversando por aí sobre esta perspectiva antes de postá-la, alguns amigos acabaram interagindo, opinando ….

” Será que há uma disputa Sampa x Cidade Maravilhosa? Porque aqui quando é suspeito dizem ser de gato! Mas a notícia causa espanto igual, quando digo que o brasil é um dos maiores exportadores de carne de cavalo. Agora leia esse trecho e pense na proliferação de restaurantes japoneses também: “Em comparação com a carne bovina, a carne de cavalo tem mais água, mais ferro – o que a deixa mais vermelha – e tem sabor mais forte e levemente adocicado.No Japão, como a carne do atum ficou muito mais cara nos últimos anos, os japoneses passaram a adotar a carne de cavalo para preparar seus famosos sashimis.” ” Joaquim Antonio

 Tem também os pombos, que em uma piada muito recorrente entre os cariocas, nas pastelarias chinesas também seriam chamados de “flango”. Estes mesmos pombos são comidos como iguaria no Egito, recheados com arroz e vários temperos, continuando uma cultura milenar. Comi, mas foi difícil deixar de lado meu preconceito contra os pombos e me deliciar! Um dia chego lá rsrs ” 

Samara Tanaka

 Ai, sem comentários, é tudo tão incoerente e contraditório. Mas continuo não comendo não pela questão da carne de cachorro, esse é o de menos nessa questão é sim por não querer sustentar algo cruel. Já basta as crueldades que sustentamos sem saber e outras que mantemos por comodismo, cultura, hábitos, etc. Ah, e outra , comer carne de bicho de rua é complicado hein, nossa comida anda muito contaminada, de tudo, será que por isso estamos numa sociedade enferma? Até no açúcar tem ossos, como ser vegano? Não vive mais né? O ser humano ainda explora demais os outros seres vivos deste planeta, e nos achamos tão superiores deuses intocáveis da razão que esquecemos que habitamos todos o mesmo lugar, a Terra continuará sua evolução no Universo, mas será que nós ainda estaremos aqui? Nem sempre fizemos parte desse planeta.” Carol Sá

no que respondi …. ” Sim Carol com as lentes localistas de sempre, sempre será *incoerente e contraditório*, pois o que é cruel para você pode não ser para mim , dai façamos o seguinte: fica você aí desse lado com este entendimento-opinião e eu aqui do outro lado discordando ….. mas jamais conversando sobre, no máximo aceitando * por respeito* à sua cultura. Taí um dos embriões desse um * só mundo globalizado * cuja milenares fundações * localistas-territoriais * vinha tornando praticamente impossível uma mais que necessária *mixagem cultural* < como de certa forma aconteceu e vem acontecendo com as imigrações > que nos fizesse enxergar um ao outro não como estranhos *potencialmente inimigos* e sim como semelhantes co-ligados por ecologias de diferenças a serem conversadas, reconfiguradas, transformadas …. ! ” 

” O problema mesmo é a hipocrisia e *esquizofrenia moral* de quem condena isso como uma “terrível prática”.Camarada, a indústria da carne (bovina, suína e aviaria) faz atrocidades muito maiores que a desse chinês.No entanto os “nobres cidadãos” acham um absurdo comer cachorros mortos cruelmente.* Tipo… han!?Ou bem se aceita as atrocidades contra seres vivos e senscientes ou não se aceita.Ficar com peninha dos cachorros e ainda frequentar a pastelaria é o mesmo que continuar num modo de consumo(carnívoro) que vc não concorda com as praticas e consequências sócio-ambientais. (Já que, aliás , a indústria agropecuária é campeã de devastações).*nota: claro que a questão dos cachorros também passa por uma propaganda enganosa e um risco a saúde do consumidor. O ponto é que isso difere muito pouco da carne(bovina) que você encontra no supermercado… ”

Pedro Bernabe 

  Penso que há uma separação em nossa consciência marcada pelas experiências (culturais, ensinadas…) que alimento animal não é o cadáver do animal. É um “produto”. Difícil comer cadáver de frango de estimação. E aqui todos cachorros, gatos… são do tipo estimação. Estranho comer seus cadáveres. No fundo no fundo, tirante as embalagens e significações e sei-lá-mais-o-quê, que fazem dos animais seres inferiores subjugados pelos humanos antropocêntricos… qual exatamente a diferença entre comer gato, frango, cachorro, golfinho, formiga e ser humano? O gosto, acho. Bernardo Schalaepfer

 

” Passo mal só de olhar ! “  poderia você estar pensando agora e se indagando porque te tagueei nesta postagem …

Talvez porque propor conversar sobre não é crime, porque continuar sendo um tabu divide, aparta, isola, algo que o localismo bairrista territorializado faz muito bem a milênios ! Pois já não somos mais apenas localistas do PF ou globalistas do fast food,

somos . g l o c a l i s t a s  !

pois estamos cada vez mais interconectados, é toda uma outra narrativa que ainda desconhecemos, estamos tateando.

E também que mesmo sabendo que ainda não é uma comum conversa de todo dia, já começo a ter a oportunidade de te conhecer melhor sabendo da sua reação e não pré-julgando antes de conhecê-lo …. não é mesmo ?

 

*** imagem do do dia-a-dia do mercado popular de Yulin que fica no sul da China.

Banner do site Reinehr.org